"; PlayWin.document.write(winContent); PlayWin.document.close(); // "Finalizes" new window // UniqueID = UniqueID + 1 // newWinOffset = newWinOffset + 20 // subsequent pop-ups will be this many pixels lower }

Quinta-feira, Novembro 06, 2008

A constestação dos professores no googlemaps

Contestação ao modelo de avaliação docente em Portugal

Está disponível a partir de hoje o mapa da constestação das escolas ao modelo de avalição docente do Ministério da Educação. Os dados têm sido extraídos da barra lateral do Movimento Escola Pública, podendo no futuro complementar-se com outras fontes de centralização da informação. Os endereços das escolas estão, em geral, disponíveis nos respectivos sítios da internet. Por vezes, a localização não é fácil, e optou-se por uma aproximação. Pode, no entanto, haver erros. Caso o leitor observe algum, agradeço que me dê conhecimento (antonio@ferrao.org). Para aceder ao googlemaps com este mapa, basta clicar sobre a figura no canto superior direito desta página. As informações serão actualizadas, pelo menos, uma vez cada dois dias.

O que é que o googlemaps permite que uma página estática de Hipertext Mark-Up Language (HTML) não permite?
- Arrastar para qualquer direcção e ampliar ou reduzir a escala.

Etiquetas: , , , , ,

Quarta-feira, Junho 13, 2007

Ministra Educação vai ao Parlamento

"O PS aprovou esta terça-feira a audição da ministra da Educação em sede de comissão parlamentar, onde Maria de Lurdes Rodrigues será confrontada pela oposição com a recente polémica que envolve a Associação de Professores de Matemática, entre outras matérias.

Depois de no final do mês de Maio o PS ter aprovado a audição da ministra da Educação sobre o processo disciplinar movido ao professor de Inglês e ex-deputado do PSD Fernando Charrua, por um comentário à licenciatura do primeiro-ministro, esta terça-feira os socialistas voltaram a votar favoravelmente outros três requerimentos para ouvir Maria de Lurdes Rodrigues.

Um dos requerimentos, apresentado pelo PSD, requeria a audição da ministra da Educação para " o cabal esclarecimento" dos "estranhos factos" que envolveram a saída da Associação de Professores de Matemática da comissão de acompanhamento do Plano de Matemática.

No requerimento, os sociais-democratas referiam que, segundo informações divulgadas pela própria associação, o abandono " deveu-se ao facto de um director-geral do ministério da Educação ter convidado esta associação a deixar a referida comissão".

"Esta posição do senhor director-geral terá sido justificada com uma discordância pública que a Associação de Professores de Matemática assumiu relativamente a declarações da ministra da Educação sobre a aferição dos resultados imediatos do desenvolvimento do programa através dos resultados obtidos pelos alunos nos exames nacionais do 9º ano ", era referido no requerimento.

"É uma notícia extremamente grave ", afirmou o vice-presidente da bancada do PSD Pedro Duarte, considerando que é mais uma nota que demonstra "que o Governo convive muito mal com as críticas".

Outro dos requerimentos, apresentado pelo Bloco de Esquerda, sobre a mesma matéria solicitava igualmente a audição da ministra da Educação na Assembleia da República.

Durante a discussão dos requerimentos na comissão parlamentar de Educação, a deputada Cecília Honório justificou o pedido do seu partido por considerar que a saída da Associação de Professores de Matemática da comissão de acompanhamento do Plano de Matemática constituiu " uma sanção por delito de opinião".

O terceiro requerimento, da autoria do PCP, e que foi igualmente aprovado, referia-se às audição de Maria de Lurdes Rodrigues acerca das condições de acesso à categoria de professor titular.

"O que pode estar em causa é a exclusão de 20 mil professores do acesso à categoria de professor titular ", adiantou o deputado do PCP João Oliveira.

Pelo PS, o deputado socialista Fagundes Duarte justificou o voto favorável do PS à audição da ministra da Educação por ter " todo o interesse em que as matérias em causa sejam esclarecidas".

Assim, Maria de Lurdes Rodrigues deverá deslocar-se à comissão parlamentar de Educação antes das férias de Verão do Parlamento, altura em que será confrontada com as polémicas que têm envolvido o seu ministério ao longo do último mês. "

Fonte: TVNET/Lusa a 12 de JUlho de 2007

Etiquetas: ,

Sábado, Junho 09, 2007

Associação dos Professores de Matemática e os exames escolares



Agradeço a Paulo Guinote a sua chamada de atenção para o problema. (AF)


A Associação de Professores de Matemática (APM) vem manifestar a sua total discordância com a afirmação da senhora Ministra da Educação, publicada na comunicação social no dia 12 de Maio: “Pela primeira vez, o país associará os resultados não apenas à performance dos alunos, mas também ao trabalho das escolas e dos professores, para o melhor e para o pior”. A senhora Ministra referia-se ao trabalho no âmbito do Plano da Matemática, a medida 1 do Plano de Acção para a Matemática, lançada em Maio de 2006.

A APM aceitou estar representada na Comissão de Acompanhamento desta medida, onde sempre contrariou o discurso excessivamente centrado sobre os resultados esperados com a realização dos projectos nas escolas, porque há muitos aspectos das aprendizagens que não são mensuráveis, sobretudo a curto prazo, e porque há muitos factores, alheios ao sistema educativo, que influenciam as aprendizagens dos alunos. A afirmação de que os resultados dos exames de Matemática do 9º ano vão ser “teste ao trabalho das escolas”, revela ausência de sentido pedagógico e exprime uma leitura muito simplista e redutora do que é esse trabalho e a educação. De facto, mudanças relevantes e duradouras em educação não acontecem num ano e projectos como os que, no âmbito referido, estão em curso nas escolas têm que ser avaliados por indicadores mais apropriados – as produções dos alunos e as taxas de abandono, por exemplo - que não são certamente os exames, que são instrumentos muito limitados e pouco adequados para a avaliação deste tipo de intervenções.

Excerto de:
O Plano da Matemática e os exames nacionais do 9º ano
publicado pela Associação dos Professores de Matemática em 15 de Maio de 2007

Etiquetas: ,


hits: