Archive for the ‘confiança_’ Category

Josephine Witt – Parem a ditadura do Banco Central Europeu

Thursday, April 16th, 2015

Somos donos das nossas vidas – algo difícil de lembrar face á política monetária devastadora do Banco Central Europeu (BCE).

Não somos cordeiros do teu jogo viciado, não estamos à tua disposição, não estamos à venda, não somos descartáveis.

“Somos donos das nossas vidas” será o protesto que vencerá a repressão, quando deixarmos de encarar a nossa pobreza como uma derrota pessoal e uma situação imutável.

Dona do universo, vim aqui para te lembrar que não há deus, mas há pessoas por detrás dessas vidas e se persistires em governar em vez de servir, o clamor dos protestos aumentará e terás de escutá-lo cada vez mais alto, fora ou dentro das tuas paredes, por todo o lado, não conseguirás encontrar refúgio.

Enquanto persistires na tua autocracia hegemónica, protegida por estados securitários e policiais, só conseguirás aumentar a violência diária e nós acabaremos por encontrar a via pacífica radical e agiremos contra os desastres humanitários que andas a fabricar.

Não aceitaremos a tua pretensão tresloucada de que a condição para sobrevivermos passa por sacrificarmos a nossa liberdade e vendermos a nossa dignidade aos bancos.

Se persistires na tua arrogância contra as pessoas, só conseguirás aumentar perigosamente a dívida que já contraiste para com elas. As tuas aparições públicas esporádicas não te conferem qualquer legitimidade democrática.

Seria pueril esperar de uma instituição ilegítima como tu que a minha voz fosse escutada ou que as minhas palavras compreendidas, mas sei que há muita gente que entende perfeitamente o que digo.

Hoje sou apenas uma lançadora de confetis que te envia uma mensagem, mas treme com o que está para vir. Saberemos resgatar as nossas vidas.

Longe está a tua dívida de ficar saldada.

Josephine Witt no Radical Cinema

Ana Camarra – Vamos dar a volta a isto?

Friday, January 16th, 2009
No quadro de crise que se apresenta ao país, surgem já sintomas graves, desde o abandono de idosos em Hospitais, a abandono de crianças, ao aumento não noticiado do consumo de anti depressivos, ao previsível aumento da fome, á necessidade de assumpção de medidas de emergência como a colocação de tendas e distribuição de alimentos quentes vocacionadas para os sem abrigo.

Isto é real!

Real também a esperada vaga de emigrantes de regresso ao país, emigrantes que irão voltar ao constatar o desemprego nos países onde se fixaram, voltaram esses e os seus filhos, para um país sem condições de sustentabilidade.

A destruição do sector produtivo do país, a privatização de sectores estratégicos, o desmantelamento da Agricultura e Pescas, a degradação da Saúde com a privatização parcelar do Serviço Nacional de Saúde, a descredibilização da Justiça, o ataque ao sector da Educação, os investimentos megalómanos, a utilização de dinheiros públicos na especulação dos mercados financeiros bem como as injecções de capital público na Banca Privada, levam-nos a uma situação social e económica catastrófica.

Mas não é preciso ser assim!

Ainda vamos a tempo, de reactivar sectores produtivos, de desenvolver a agricultura e pescas, de preconizar medidas de facto fundamentais para a recuperação económica e social, de tributar grandes fortunas e lucros fabulosos de alguns sectores, de recuar nas medidas aplicadas na Educação, na Justiça e na Saúde que se tem revelado injustas e alvo de grande contestação popular, de proteger o emprego e o trabalho como consagrado na Constituição, de estancar a sangria de dinheiros públicos, de promover um desenvolvimento sustentável e equilibrado para Portugal e os Portugueses.

Respeitando as especificidades regionais, as potencialidades do país e os seus recursos, físicos, estratégicos e humanos.
Vamos dar a volta a isto?!

Ana Camarra, , 15 de Janeiro de 2008

A democracia defende-se nas escolas

Wednesday, September 10th, 2008

(Imagens do | Track details | eSnips Social DNA

Som: