Archive for the ‘Brasil’ Category

Gabriel Chalipa – Homenagem aos professores

Monday, January 4th, 2010

Bom Ano Novo

Thursday, December 31st, 2009

Via

O 25 de Novembro de 1975 visto por Chico Buarque

Wednesday, November 25th, 2009

Fado Tropical

Oh, musa do meu fado
Oh, minha mãe gentil
Te deixo consternado
No primeiro abril
Mas não sê tão ingrata
Não esquece quem te amou
E em tua densa mata
Se perdeu e se encontrou
Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal
Ainda vai tornar-se um imenso Portugal

«Sabe, no fundo eu sou um sentimental
Todos nós herdamos no sangue lusitano uma boa dose de lirismo
Mesmo quando as minhas mãos estão ocupadas em torturar, esganar,
trucidar
Meu coração fecha aos olhos e sinceramente chora…»

Com avencas na caatinga
Alecrins no canavial
Licores na moringa
Um vinho tropical
E a linda mulata
Com rendas do Alentejo
De quem numa bravata
Arrebato um beijo
Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal
Ainda vai tornar-se um imenso Portugal

«Meu coração tem um sereno jeito
E as minhas mãos o golpe duro e presto
De tal maneira que, depois de feito
Desencontrado, eu mesmo me contesto

Se trago as mãos distantes do meu peito
É que há distância entre intencão e gesto
E se o meu coração nas mãos estreito
Me assombra a súbita impressão de incesto

Quando me encontro no calor da luta
Ostento a aguda empunhadura à proa
Mas o meu peito se desabotoa

E se a sentença se anuncia bruta
Mais que depressa a mão cega executa
Pois que senão o coração perdoa»

Guitarras e sanfonas
Jasmins, coqueiros, fontes
Sardinhas, mandioca
Num suave azulejo
E o rio Amazonas
Que corre Trás-os-Montes
E numa pororoca
Deságua no Tejo
Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal
Ainda vai tornar-se um imenso Portugal
Ai, esta terra ainda vai cumprir seu ideal
Ainda vai tornar-se um imenso Portugal

Transcrição da letra:

Contra-Revolução

Foi bonita a festa, pá
Fiquei contente
Ainda guardo renitente um velho cravo para mim
Já murcharam tua festa, pá
Mas certamente
Esqueceram uma semente nalgum canto de jardim
Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei, também, quanto é preciso, pá
Navegar, navegar
Canta primavera, pá
Cá estou carente
Manda novamente algum cheirinho de alecrim


Transcrição da letra:

Carlos Drumond de Andrade – Mãos dadas

Thursday, April 16th, 2009

Não serei o poeta de um mundo caduco.

Também não cantarei o mundo futuro.

Estou preso à vida e olho meus companheiros.

Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.

Entre eles, considero a enorme realidade.

O presente é tão grande, não nos afastemos.

Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.

Não serei o cantor de uma mulher, de uma história,

não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da janela,

não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida,

não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins.

O tempo é a minha matéria, do tempo presente, os homens [presentes,

a vida presente.

(Carlos Drummond de Andrade, Sentimento do mundo.)

Carlos Drumond de Andrade – Receita de Ano Novo

Wednesday, December 31st, 2008

Andrés Lieban – Corrente pra frente

Monday, July 14th, 2008
Desenhos animados feitos em papel, quadro a quadro, digitalizados e finalizados em flash, que produzem arquivos leves, rápidos, com linguagem moderna e atual, ideal para a internet.

Esta vinheta de Andrés Lieban propõe manter o foco no grito do mundo. É quando deixarmos de ser indiferentes que fazemos a diferença. Venceu no Festival Livre de Animação (FLA) 2002.

in

Os Tribalistas – Já sei namorar

Monday, April 21st, 2008

Recordando Angela Maria

Tuesday, April 8th, 2008

Quando o rádio da casa ainda não era transistorizado. (AF)

Onde estás coração?

Get this widget | Track details | eSnips Social DNA

Fonte:


Garota solitária

Get this widget | Track details | eSnips Social DNA

Fonte:

Adriana Calcanhotto e as crianças

Tuesday, December 18th, 2007
Um fenómeno musical junto das crianças.

Adriana é suave e sabe captar a atenção de milhares de jovens recorrendo a melodias que as encantam. (MR)

Matos Carlos – Sítio Web cultural brasileiro em risco

Wednesday, November 21st, 2007

Recebido por email. (AF)


-Imaginem um site (lugar) onde se pode ler gratuitamente as obras de Machado de Assis ou A Divina Comédia, ou ter acesso às melhores historinhas infantis de todos os tempos.
-Um lugar que lhe mostrasse as grandes pinturas de Leonardo Da Vinci. Onde você pudesse escutar (de graça) músicas em MP3 de alta qualidade…
-Pois esse lugar existe!
O Ministério da Educação disponibiliza tudo isso, basta acessar o site:

Só de literatura portuguesa são 732 obras!
Estamos em vias de perder tudo isso, pois vão desativar o projeto por desuso, já que o número de acesso é muito pequeno. Vamos tentar reverter isso, divulgando e incentivando amigos, parentes e conhecidos, a utilizarem essa fantástica ferramenta de disseminação da cultura e do gosto pela leitura.
Ao invés de divulgar o site, é mais barato eliminá-lo , é um absurdo !!!
Divulgue para o máximo de pessoas,

A Cultura pede socorro …