Archive for July, 2011

Michael Hudson – FMI, o carrasco da economia

Monday, July 11th, 2011

Michael Hudson não é comedido nas palavras. Com palavras doces, não vamos lá. Nesta entrevista, Michael Hudson afirma que se está a instalar um neo-feudalismo na Europa; que o Banco Central Europeu não é um verdadeiro banco central; que as instituições europeias foram tomadas pela alta finança; que não há uma Alemanha contra a Grécia, mas sim banqueiros alemães contra os gregos e também contra os alemães. Que o FMI só espalha pobreza e já ninguém queria saber dele, quando foi chamado (pela Comissão Europeia) para intervir na Grécia. Vale a pena ouvir, a partir do minuto 14 (em inglês).

A origem dos sistemas de numeração

Friday, July 8th, 2011

É lugar comum afirmar que a base de numeração que utilizamos, é a decimal em virtude de acontecer que temos dez dedos, e as primeiras contagens foram realizadas com os dedos da mão.
O que é menos conhecido, é que também usamos a base chamada sexagesimal, com a contagem até sessenta, que ainda hoje se utiliza no tempo e nos ângulos.
E ainda menos conhecido, é que a base sexagesimal também teve origem nos dedos da nossa mão, mas contados de outra maneira.
Essa maneira consiste em contar, não os dedos, mas em cada dedo contar até três. No tempo em que eu estudei as Ciências Naturais, se bem me recordo chamava-se a essas partes do dedo a falange, a falanginha e a falangeta, não me perguntem é qual era a primeira e qual a última…
De modo que a contagem dos dedos de UMA mão resultava, não em cinco mas em doze unidades.
Esgotada essa contagem, avançava UM dedo da outra mão, para permitir recomeçar outra vez a contagem na primeira mão.
Este sistema esgotava-se ao chegar aos sessenta, que é o produto de doze unidades de uma mão pelos cinco dedos da outra mão.
Eh, espera aí, então o que é feito do quinto dedo da primeira mão, que parece ter ficado esquecido e que, azar, até nem se divide em três partes, mas sim em duas, que é o polegar?
Calma aí, esse dedo não ficou esquecido, antes pelo contrário, se não fosse com ele, como é que querias fazer a contagem das doze unidades dessa mesma mão?