Nomes próprios – escala de frequência

Usando as listas de colocação dos professores no concurso de 2009 (92500 nomes, quase 1% da população de Portugal) seleccionaram-se os antropónimos que apareciam no início: excluíram-se os apelidos. Resultaram 2038 nomes próprios distintos, dos quais 700 correspondem a ocorrências únicas (assinaladas com a frequência relativa igual a 0.00068%). Pela lista ficamos a saber que os nomes próprios femininos mais vulgares são:


Maria
Ana
Carla
Sandra
Paula


Os nomes próprios masculinos mais vulgares são:

José
João
António
Luís
Pedro

O nome de um em cada dez portugueses começa por Maria. 12 nomes próprios são suficientes para chamar cinco milhões de portugueses (50%). Para chamarmos 90% dos portugueses, bastam 188 nomes próprios. Nos últimos anos, alargou-se significativamente o número de antropónimos efectivamente usados em Portugal, independentemente das validações oficiais. Talvez os portugueses estejam a tornar-se menos conservadores na escolha dos nomes próprios. A tabela completa pode ser descarregada .

5 Comentários

  1. António Chaves Ferrão says:

    Interessante relação entre náutilus e girassóis. Obrigado ela vista.

  2. o castendo says:

    1% da população…

    Um abraço

  3. António Chaves Ferrão says:

    Um abraço, António

  4. Paula says:

    Muitos parabéns pelo trabalho! Pensa vir a disponibilizar igualmente a lista de apelidos? Essa informação, ainda que não processada, seria muito relevante para um projecto de investigação em que estou envolvida. Fico a aguardar o seu contacto! Muito obrigada, desde já, P. Carvalho.

  5. António Chaves Ferrão says:

    Paula Carvalho
    O meu contacto está no perfil do blogger.
    Infelizmente, as listas originais de colocação dos professores, que eu tinha descarregado do sítio do ministério, não sobreviveram a uma mudança de computador.
    Boa sorte no seu projecto.