Sábado, Agosto 11, 2007

Democracia segundo Ramos Horta

Ramos HortaRamos Horta, Presidente República de Timor-Leste, deve anunciar na segunda feira a indigitação de Xanana Gusmão para formar governo, apesar do partido ter ficado em segundo lugar nas recentes eleições legislativas.
Sem ter nomeado para o efeito Mari Alkatiri, leader do partido mais votados mas sem maioria absoluta - a Fretilin, Horta dá um péssimo sinal de respeito pela vontade popular. Dir-se-á que Alkatiri não conseguiria formar governo com maioria parlamentar. Isso deveria ser o próprio a constatar, depois da incumbência, e, mesmo assim, poderia propôr um governo minoritário como tantos há por esse mundo fora. Não. Horta decide só. Mesmo que Xanana tão só consiga formar uma "coligação negativa" contra a Fretilin.
Porque, no fundo, é isso que há muito tempo a Austrália, os americanos e uns emissários do governo português têm andado a fazer. Uns com a diplomacia, outros com a subversão interna que tem adiado o desejo de independência efectiva.

Publicado por António Abreu
em Antreu a 5 de Agosto de 2007

Etiquetas: , ,

0 Comentários:

Enviar um comentário

<< Home


hits: